Este não é um blog, mas um reblog. É um ambiente de aprendizagem. Mas o que é um ambiente de aprendizagem? - Carteiras? Quadro? Algumas janelas? Nós aprendemos através de nossas interações com professores, pais, colegas e o mundo em nossa volta, considerando que a interação é um dos mais importantes elementos da aprendizagem. Este reblog é dedicado a todos aqueles que colocando perguntas estimulam o estudo e as respostas.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Memória empresarial: o culto da subjetividade das pessoas da organização

Veja o vídeo com professor-doutor Paulo Nassar. Ele coordena o Curso de Relações Públicas é professor na pós-graduação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, diretor geral da Aberje e diretor da Revista Comunicação Empresarial e membro do Conselho da Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas (Organicom).

Pesquisa na área de Comunicação, com ênfase em Comunicação Organizacional e Relações Públicas, trabalhando principalmente os seguintes temas: relações públicas, comunicação organizacional, comunicação organizacional, relações governamentais, comunicação empresarial e comunicação interna.


terça-feira, 27 de outubro de 2009

iMasters InterCon 2009

O iMasters InterCon 2009 será dividido em 6 grandes áreas, com o objetivo de aprofundar em cada tema, gerando conteúdo mais avançado entre os participantes, formado normalmente por profissionais que já atuam no mercado Internet, e já não se faz necessário apenas a apresentação de cases, mas sim a experimentação para projetos e tecnologias futuras, sendo um evento de vanguarda e orientação ao mercado.
O evento será realizado no Hotel Renaissance, ao lado da Av. Paulista, em 3 ambientes personalizados, comportantdo até 1.200 participantes. Dentro destes 3 ambientes, as 6 grandes áreas são:
Cada um dos auditórios terá a curadoria de profissionais referências do mercado nacional, palestras curtas, interação com a platéia e intervalos para experimentação e apresentação de novas tecnologias.
A área externa terá uma atenção especial, com foco na sensorialidade e no networking.
Faça sua inscrição

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Embaixador Cidadão da ONU


O fotógrafo Breno Coelho, do Espírito Santo, é um dos cinco vencedores do concurso lançado pelas Nações Unidas, em parceria com o site Youtube.

Breno realizou um vídeo de três minutos, respondendo à pergunta: "Se você tivesse a oportunidade de falar aos líderes mundiais, o que você diria"?
Como prêmio, ele e os outros ganhadores visitam a sede da ONU, em Nova York e participam das comemorações dos 64 anos da organização. Além disso, eles recebem o título de "Embaixador Cidadão da ONU".
BrenoCoelho concedeu entrevista a Radio ONU. Ouça a entrevista !

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Marcas políticas e engajamento

Assista a entrevista que o especialista em Branding digital, Gabriel Rossi concedeu a TVOAB sobre as marcas políticas na era da participação.

Ele é esclarecedor nesta situação totalmente nova para os políticos. Carisma e ideias diferenciadas são necessários no mundo digital.

Aqui o espaço é de relacionamento, equidade, engajamento.


video




video



Fonte: http://gabrielbranding.com.br/

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Dar espaço para que as pessoas sejam ouvidas é saber o que pensam

Normalmente ações de divulgação envolvem compra de espaço para veiculação de campanhas, mas as mídias sociais chegaram para virar tudo de cabeça pra baixo.

Em uma época onde o consumidor se mostra bem mais inteligente e organizado do que os marketeiros do século passado acreditavam, a única forma de sobreviver é tratar seu cliente com respeito.

Antigamente era tudo encaixadinho, hoje quem manda texto pronto é exceção. O próximo passo foi transformar o consumidor em gerador de conteúdo.

Esse é o conceito da campanha PalcoHSBC , não só ouvir o que as pessoas tem a dizer, mas dar espaço para que sejam ouvidas.

A ação é uma tribuna, onde pessoas serão convidadas a gravar vídeos em estádios, praças, pontos de concentração urbana de várias cidades sobre temas como imigração, família, liberdade, beleza, etc.

Tudo disponibilizado no canal oficial no YouTube.

Veja um exemplo do que será:

video



Fonte: http://www.contraditorium.com

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Knight Center for Journalism

O Knight Center for Journalism in the Americas, ligado à Universidade do Texas (EUA), vai promover, entre os dias 9 de novembro e 6 de dezembro, o curso on-line, em português, ‘Introdução ao Jornalismo 2.0: Oportunidades e Desafios na Era Digital’.

As aulas são gratuitas e as inscrições estendem-se até as 22h (de Brasília) do dia 25 de outubro. O curso será ministrado pelo jornalista e professor brasileiro Carlos Castilho, pela quinta vez, mas esta edição conta com atualizações importantes, sobretudo ligadas à explosão de visitantes no Twitter.

SERVIÇO:
Data: entre 9 de novembro e 6 de dezembro
Organizador: Knight Center for Journalism in the AmericasInvestimento: gratuito
Inscrições: no formulário

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Cinema em Negro & Negro


Terminou neste sábado a V Mostra Produção Independente - Cinema em Negro & Negro, no Cine Metrópolis, Ufes, depois de intensos debates e mais de 60 filmes exibidos.
Na noite de encerramento, foram anunciados os premiados da mostra realizada pela seção capixaba da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas-Metragistas (ABD&C Capixaba).
O prêmio de melhor vídeo capixaba foi para "Maicou Diéquision", de Natanael Souza e Ramon Zagoto. A produção recebeu o prêmio de R$1.500 mais garantia de exibição no Festival Internacional de Atibaia.
O ator e músico MC Abelhão dedicou o prêmio a todos os jovens de comunidades carentes de Vitória.
O melhor vídeo em Negro & Negro foi para "N'Goma - Jongos do Sul Capixaba", de João Moraes e Leonardo Gomes.
O júri ainda concedeu duas menções honrosas, para os filmes "Agrados para Cloê", de Jefinho Pinheiro, e "A Sorte da Bússola sem Norte", de Fred Entringer.
Durante o encerramento, o ator Markus Konká promoveu o lançamento do seu primeiro filme como diretor, "Meninos da Guarani". Além disso, o ator também foi homenageado no evento com a exibição do curta "Repolho Hidropônico" (Virgínia Jorge e Lizandro Nunes), que contém cenas e entrevistas com ator.
Na ocasião, a atriz Zezé Motta, que narra o filme de Konká, esteve presente. O longa-metragem apresenta um recorte da violência urbana do país: Konká filma histórias de assassinatos entre homens jovens no entorno da Avenida Guarani, em Jacaraípe, na Serra.
O município de Serra é o mais violento do Espírito Santo e são os números frios das estatísticas que o diretor tenta mostrar, enfatizando o drama das famílias que sofrem com o cotidiano da violência e a atuação das instituições tradicionais, como as igrejas, a escola e o poder executivo.
Veja o Vídeo Maicou Diéquison

domingo, 18 de outubro de 2009

Welcome to the University of iTunes


The wisdom of business professors, once only available to MBAs and business students, can now be accessed by anybody with an Internet connection.

At HEC Paris, MBA students are given an iPod Touch so they can download podcasts of lectures.

Hundreds of universities, and a growing number of business schools, are making recordings of lectures, seminars and conferences available to the general public via Web sites such as iTunes and YouTube.

Leading business schools including University of Cambridge Judge Business School, Fuqua School of Business, and Yale School of Management make course content available for download through iTunes University (iTunes U), part of the of the iTunes online store.


That means those whose budget won't stretch to a two-year MBA can simulate the experience at home -- or at work, in the gym or anywhere else they choose. And even better for money-conscious learners, the iTunes U content can all be downloaded free of charge.


French business school HEC Paris is due to launch its iTunes U content in the next few months, but it has been running an ambitious podcast program since 2006.


Begun as an experiment in partnership with Apple, all new MBAs at HEC are provided with an iPod Touch. Around half of the MBA lectures are filmed using an automatic camera system and the footage is made available for students to download and view on their iPhones.

Vanessa Klein, HEC's project manager for iTunes U, told CNN that the iPod-enabled curriculum has proved a hit with students. As well watching lectures, she said the students' own presentations are recorded and made available for download so they can review their performance.


She says one teacher noticed that each year his MBA students would ask the same questions after his end-of-course summary, so he made a podcast of recurring questions and answers. After encouraging students to come up with new questions, he is now recording responses to those in an effort to compile a video archive of questions and answers.


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

The Results: Citizen Ambassador to the UN - Video Contest


Vejam o video que a ONU fez com os Top 5 do concurso!!!
O vídeo apresenta os cinco vencedores .
Trechos do vídeo que vocês verão em português foi realizados dentro da Estácio de Sá de Vitória.
Parábéns a todos que participaram direta e diretamente do video!
Breno Coelho, diretor do video vai para New York para o metting!!
Fly Breno, Fly!

video

Fonte: http://www.youtube.com/UNITEDNATIONS

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Sonhe, mas não fique preso a eles.

Fui assistir Up altas aventuras com minha filha. Rimos muito, mas eu sozinho tb chorei.

É um filme extraordinário.

É uma história sobre um vendedor de balões de 78 anos, que finalmente realiza o seu sonho de embarcar em uma grande aventura.



video


http://www.disney.com.br/cinema/up/

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

domingo, 11 de outubro de 2009

Qto vale a sua amizade na rede ?


Empresas estão de olho na influência que os amigos virtuais exercem nas decisões de compra.

Até pouco tempo atrás, amizades perdidas no passado ficavam restritas a um arquivo morto.


Você dificilmente saberia que um casal improvável do colégio teve quatro filhos ou que a menina da primeira fila saiu viajando pelo mundo.


Você também não imaginaria que aquele palestrante do último seminário a que assistiu é expert em vinhos e gastronomia e tem um blog sobre o tema.


Aí vieram orkut, Facebook, Twitter, LinkedIn, MySpace, Sonico, Hi5, e o círculo de amizades na web mudou radicalmente.


Carinhas de antigos conhecidos se misturam com pessoas a que você foi apresentado na semana passada.


Como eles influenciam o seu comportamento? Essa é uma das questões centrais hoje para os pesquisadores especializados em mídias sociais.


Eles querem medir o poder de influência que alguém pode ter sobre seus amigos e seguidores e quanto eles podem convencê- lo a comprar algo ou simplesmente clicar num link de publicidade.

No mar de informações em que se navega hoje — só o Facebook tem 200 milhões de perfis e o Twitter alcançou 32 milhões de visitantes únicos em maio — o mais difícil é separar o relevante do ruído.


O passo seguinte, e ainda mais desafiante, é calcular o valor das relações entre as pessoas. Pesquisadores da Harvard Business School analisaram o comportamento de mais de 200 pessoas na rede social Cyworld, extremamente popular na Coreia do Sul, durante dez semanas.


O estudo Os amigos influenciam compras nas redes sociais?, publicado em maio, descobriu que há um impacto significativo: 40% dos usuários, especialmente os que não se conectam com frequência, foram influenciados pelos amigos virtuais, sobretudo para seguir uma moda de consumo.


O resultado foi traduzido em compras — um índice 5% maior que a média.


Fonte: Renata Leal, da INFO

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Computer Music


THE KUNG FU KO ("The KFK") is one of the multiple results of twenty years of computer music experience accomplished by Hugo Cristo, a designer from Vitória, ES - Brazil.

Everything in The KFK is generated by virtual synthesizers or sampled from the Internet, and finally mixed on popular music sequencers. The KFK produces electronic music with heavy drumloops, lots of synths and computer-generated vocals.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Os cinco pes das mídias sociais


1) Perfis
Existem basicamente dois tipos de perfis, o seu perfil pessoal ou o seu perfil empresarial. Perfis pessoais podem ser; no LinkedIn, no Facebook, no MySpace, no Flickr.
Um exemplo de um grupo pode ser de Mídia Social, é o Social Media the Bible, ou pensamento inovador.
Tente separar o que é pessoal de Profissional as vezes, está questão pode atrapalhar o relacionamento dentro da rede.
2) Propagar (generalizada)
“É preciso estar lá quando seus clientes, mais importante, seus clientes potenciais estão lá olhando para você (ou, melhor ainda, seus concorrentes)”.
Se você tem fotos de seu negócio, cliente, vídeos, novos lugares, novos eventos, notícias, etc. Você tem de continuar com esses perfis ativos e carregar todo o conteúdo existente. A idéia é ter um perfil para si, mas que interaja com os usuários, membros, parceiros e gerar um Feedback constante.
Acho que isto deve ser adicionado à disseminação da existência de tais perfis. A onda agora é você poder encontrar Feedbacks sobre sua propagação, no Twitter, etc. e você seguir as nossas novidades e promoções.
3) Produção (produzir)
Se não há conteúdo suficiente ou interessante, é hora de produzir!Podcasts, vídeos e textos para blogs / sites com uma mensagem clara “do que você tem para seus visitantes”.
Existem milhares de grupos e perfis de milhares de empresas, o necessário e de saber chamar a atenção das pessoas para continuar a sua atividade.
4) Participação (presença)
“Você não pode simplesmente pular para a conversa. Você precisa ouvir. Você precisa entender. Você precisa participar”.
Lembre-se isso não é um jogo, o que você faz dentro dessas conversas tem que ser bem planejado, o uso das estratégias é fundamental.
5) Progresso (curso)
“Não se pode gerenciar aquilo que você não mede” , Quanto de visualizações dos seus vídeos? Suas fotos? Muitos comentários feitos em seus posts? ou sobre as atualizações no Facebook?
Como muitos usuários, os novos membros que você teve esta semana?Quantos alertas ou pesquisas em sua empresa?

Medir, monitorar e avaliar. Claro, além de ser capaz de monitorar o progresso da participação em várias redes sociais, comunicação social ou de sua empresa, pode adaptar o conteúdo de acordo com o que as pessoas que você gosta ou usa mais.

Lembre-se que estas atividades têm tempo para as pessoas, precisam produzir conteúdos de informação, e, portanto, na medida em que crescem em volume e de continuidade são mais rentáveis para a empresa.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Entender Ambientes

Antes de mais nada, vamos entender por “mídias sociais” aqueles ambientes em que o público produz e compartilha conteúdo, com possibilidades de diálogo público, e não apenas “redes sociais” como Orkut e Facebook.

Mídias sociais, assim, se estendem a video-audio-image-slide-texto-sharing como YouTube, Vimeo, Flickr, Slideshare, Ning, SoundCloud, Scribd, Twitter, Wikipedia, Ask500People, RSS Readers, widgets e afins.

Apesar de todos eles se sustentarem pelo UGC (user generated content), o cerne destes serviços varia drasticamente. Suas aplicações, portanto, também podem variar.

Ao passo em que o YouTube e o Flickr são reconhecidos pela veiculação de vídeos e fotos, os sites de relacionamento estão ligados ao diálogo pessoal. Isso pode representar um problema se o veículo pretende criar um perfil no Orkut com o logo da marca e não mostrar a “cara” de quem está por trás, operando.

Discussões em comunidades pedem espontaneidade e não pronunciamentos oficiais. Por outro lado, já é normal que empresas de conteúdo tenham seus próprios canais no YouTube, afinal, o que interessa é muito mais o vídeo publicado do que a conversa que segue nos comentários.

Já o Twitter tem outras peculiaridades. Ele se presta tanto para diálogo quanto para veiculação unidirecional. Se o dono de um perfil deseja utilizá-lo apenas para divulgar conteúdo do site, então o jeito é avisar seus seguidores para não gerar frustração diante de um reply.

Mas há casos curiosíssimos como o @coloneltribune, do Chicago Tribune: trata-se de um avatar criado pela redação para ser o perfil “conversador” do jornal no Twitter. Enquanto o Chicago apenas divulga manchetes, o Colonel conversa com os seguidores. Tudo em nome da redação.

Entender cada um destes espaços faz com que estimemos quem está presente neles. Daí a pergunta que cada editor de mídias sociais deve se fazer: se o meu veículo fosse uma pessoa, por quais destas mídias ele navegaria?

Obviamente é necessário conhecer o público do veículo para fazer esta estimativa. Mas nada que um perfil básico de faixa etária, renda familiar, hábitos digitais e profissão não resolva. Afinal, uma das riquezas das mídias sociais é justamente fazer com que o nosso veículo conheça melhor o seu público.

O que dá para fazer? Muitas coisas, sem dúvida! Mas é melhor eleger prioridades. Caso contrário, a sedução de aproveitar todas as possibilidades destas plataformas fica maior do que os braços que a redação tem para executar o serviço.
A propósito: que baita serviço! Mídias sociais dão trabalho, especialmente porque requerem um tempo de leitura de um conteúdo amplo e nada organizado.

Outro foco é a atenção pessoal que o público presente nestas redes exige de quem está lá. Não se trata de respostas automáticas, de atendimento massivo. O grupo pode ser numeroso, mas o feedback que ele espera da redação é tão individual quanto um amigo responde aos seus scraps.

Afinal, todos habitam o mesmo ambiente e podem, tecnicamente, se comportar de maneira igual.

Algumas possibilidades que podem nortear uma estratégia editorial em mídias sociais são: inspiração para pautas;
coleta de feedbacks sobre materiais já publicados;

busca por fontes;aproximação com o público (e isso deve ser compartilhado com o depto. de marketing - peça instruções sobre SMO - Social Media Optimization);

auxílio na apuração de fatos com quem está mais próximo dos fatos;

divulgação de conteúdo publicado;busca por novos públicos (especialmente os mais jovens, que não têm o hábito de visitar sites noticiosos e passam a maior parte do tempo online em mídias sociais.

Como essa galerinha vai consumir notícia? Os widgets como o NYT bem explora no Facebook podem ser um caminho); identificar conteúdos que possam ser associados ao veículo mediante permissão do autor;aumentar a visitação ao site da marca;busca pelo “outro lado” da informação - afinal, o que não falta nestas mídias é opinião e visões variadas!conquistar novos públicos para a marca.

Sobre o autor
Ana Maria Brambilla (anabrambilla@gmail.com) é jornalista, mestre em comunicação e autora do blog
Libellus. No Twittter é @anabrambilla

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Twitter e Publicidade


Demorou um pouco, mas as agências de publicidade descobriram que o Twitter pode ser uma eficiente ferramenta de divulgação de produtos e marcas. A novidade é que estão causando polêmica, com o uso de publicidade disfarçada de informação e o aliciamento de tuiteiros em troca de bonés e camisetas.

O caso mais notório é o da marca de biscoitos Club Social, que contratou 13 tuiteiros bem conhecidos para promover o produto. Cada um (a relação completa dos participantes está aqui) tem a obrigação de escrever dois tweets por semana com a palavra “inconfundível”, marca da campanha publicitária do biscoito.


Os comentários no Twitter não precisam ser relacionados ao produto, mas a qualquer coisa que os tuiteiros consideram “inconfundível”. O objetivo da campanha é reforçar a associação entre fatos “inconfundíveis” e o Club Social. Os tuiteiros Didi e Kibe Loco, por exemplo, colocaram no Twitter um link que leva a um programa de tevê sensacionalista, cuja atração é uma briga entre dois anões, e escreveram: “treta de anão é #inconfundivel”


O historiador Juliano Spyer, autor do recém-lançado livro “Tudo que você precisa saber sobre Twitter”, é outro dos tuiteiros da campanha do Club Social. “Não vejo uma malandragem com as pessoas”, diz. “O meu compromisso é apenas oferecer links de coisas legais”.


Spyer, no entanto, lamenta não ter anunciado em seu blog que iria participar da campanha, nem ter alertado os leitores que a palavra “inconfundível” só aparece em textos seus por obra de um contrato publicitário.


Nem todas as campanhas são tão bem aceitas quanto a do Club Social. A marca Puma acaba de experimentar um vexame na tentativa de promover um novo produto, um tênis chamado Puma Lift. A empresa convidou 300 blogueiros e tuiteiros a escreveram o que quisessem sobre o tênis (com base num texto previamente enviado) e ofereceu como recompensa aos dez mais lidos camisetas e bonés da marca.

O texto enviado aos blogueiros, com comentários ridicularizando-o, está circulando na internet. “Quero ver quem será o trouxa que vai cair nessa… essa vai dar o que falar!”, escreveu, por exemplo, a blogueira Ligia Dutra, convidada a participar.


Também tem causado polêmica a movimentação da tuiteira Tessália Serighelli, conhecida como @twittess. Com quase 62 mil seguidores, Tessália criou um “media kit”, que está divulgando em agências de publicidade e junto a potenciais clientes, nos quais oferece os seus serviços como uma divulgadora de notícias e links, e se apresenta como “uma referência junto ao público jovem e para aqueles que buscam um conteúdo seletivo”.


Personagem polêmica no Twitter, Tessalia é acusada de ter engordado a sua lista de seguidores por meio de artifícios condenáveis, como a cópia de listas de outros usuários, inclusive estrangeiros. Ela cobra de R$ 300 a R$ 500 por mensagem comercial postada no Twitter e, como no caso do Club Social, não deixa claro que está fazendo publicidade.


Há poucos dias, @twittess divulgou uma promoção da rede de supermercados Bompreço sem informar do que se tratava. A mensagem era assim: "Oba! Uma promoção bem bacana! Vote aqui: http://migre.me/5n0K, faça o cadastro, e concorra a premios!! MUITO animal: DD #LCD #CEL #Note"

“É tão difícil construir credibilidade...”, suspira a blogueira Rosana Herman. “Precisamos zelar pela mídia onde estamos inseridos. Como cobrar transparência de políticos em Brasília se o nosso próprio meio não é transparente?”, ela pergunta. “Nada contra publicar um post ou tweet patrocinado, mas é preciso avisar os seus leitores”.

O pioneiro na associação do Twitter com publicidade foi o jornalista Marcelo Tas, apresentador do CQC. Diferentemente dos casos citados aqui, Tas tratou abertamente do caso, desde que associou-se com a Telefônica para promover um produto da empresa. Sua página no Twitter é “decorada” de forma visível com a marca e o produto (Xtreme) que divulga.

Alexandre Ingaki, respeitado blogueiro e com forte influência no Twitter, condena a prática de publicidade velada. “Acho bem problemático divulgar uma marca, sem informar que está fazendo isso”, diz o blogueiro. Inagaki, porém, não vê tantos problemas em ações como a do Club Social. “Os tuiteiros são curadores de conteúdos. Não precisam falar do produto, mas divulgar conteúdos relacionados”.

Outro blogueiro e tuiteiro muito conhecido, Carlos Cardoso preocupa-se com a falta de critérios das agências de publicidade e das empresas interessadas em usar as novas mídias na divulgação de produtos. “Eles querem investir, mas não sabem como. Isso está virando um faroeste”.

Matéria veicula em 19/08 - 11:27 - Mauricio Stycer, repórter especial do iG

domingo, 4 de outubro de 2009

Ranking do Mec


Segue abaixo o Top 10 do índice classificatório no Ministério da Educação das 66 Intituições de Ensino Superior no Estado do Espírito Santo, Brasil:


Faculdades Integradas de Vitória

Faculdade da Região Serrana

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo

Universidade Federal do Espírito Santo

Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória

Faculdade Ítalo Brasileira

Faculdade de Ciências Aplicadas Sagrado Coração

Faculdade Estácio de Sá de Vitória

Centro Universitário Vila Velha Faculdade Nacional

Faculdade Batista de Vila Velha



Fonte: http://www.estadao.com.br/especiais/ranking-do-ensino-superior,69776.htm

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Livro


Em tempos de mercados globalizados, a tecnologia potencializou o valor da informação - que corre a uma velocidade tão rápida quanto o tamanho do estrago que seu mau uso pode causar na reputação de uma organização - , e a comunicação corporativa ganhou um significado mais amplo do que o de assessoria de imprensa: virou assunto para profissionais, não havendo mais espaço para a improvisação.

Isso significa que, para sobreviver nos dias de hoje, é imprescindível que as empresas sejam transparentes e deixem explícitos os valores que norteiam suas práticas.

O livro Comunicação corporativa e reputação - construção e defesa da imagem favorável, fornece as informações necessárias para que as empresas se estruturem de modo a evitar surpresas desagradáveis causadas pela má administração da comunicação institucional.

Com linguagem acessível, esta obra vem preencher uma lacuna do mercado editorial, carente de bons títulos na área. Além disso, pode ser considerada ferramenta essencial para todos aqueles que trabalham ou pretendem trabalhar com a comunicação de qualquer empresa, seja esta de pequeno, médio ou grande porte.

Com o objetivo de ampliar a literatura especializada na área de comunicação corporativa, a Editora Saraiva está lançando a obra Comunicação Corporativa e Reputação – Construção e defesa da imagem favorável (216 p., R$ 43,00).

O livro, coordenado pelo Prof. Belmiro Ribeiro da Silva Neto, reúne material preparado pelos docentes do curso “Comunicação Corporativa: Corporate Affairs”, do Programa de Educação Continuada (GVPec) da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo.

Os capítulos da obra abordam desde a construção de uma marca e a propaganda corporativa até a comunicação com públicos específicos, como colaboradores, investidores, governos e organizações do Terceiro Setor. Além disso, aborda também a comunicação diferenciada em situações de risco e de crise, tema sensível a diversas organizações, principalmente em tempos de crise econômica global, acidentes e controvérsias.

Fonte: http://www.intercom.org.br/
http://www.editorasaraiva.com.br